Autores

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Silvéria Miranda

Sempre tive como velha máxima que os factos são sagrados e as opiniões livres. Foi com essa premissa que criámos este espaço e é por ela que me rejo em cada palavra que aqui escrevo. Sem qualquer interesse que não o de ajudar a construir uma Trofa melhor, mais justa e apelativa, digo orgulhosamente que sou tanto da Trofa como a Trofa é minha!

Pedro Amaro Santos

 Do Muro chego a muitos lugares.
Rejeito inevitabilidades e verdades absolutas.
Condeno a lógica do receio como desculpa.

João Pedro Costa

Misturo o meu ser com as coisas que me acontecem, olho para trás e vejo a minha vida.
Talvez não consiga mudar a Trofa, mas não abdico de fazer a minha parte!

Diogo André Costa

Sonhador, mas com os pés bem assentes na terra. Posso não cumprir o sonho de mudar o mundo, mas vou tentar melhorar a minha terra.

Luís Ferreira Gomes

O gosto pela escrita permite-me viajar por qualquer caminho sem que nenhuma barreira me seja imposta, sou livre para pensar e fazer transbordar esse pensamento em palavras.

Alexandra Santos

Alexandra Santos nasceu em 1980, em S.Romão do Coronado, concelho da Trofa, onde ainda reside. Licenciou-se em Ensino de Português e Inglês pela Universidade do Minho em 2003, tendo trabalhado sempre, a partir daí, na área da educação. Devido ao gosto pela escrita, tornou-se igualmente escritora, sendo a autora do livro de poesia Palavras Sussurradas.

Luís Cardoso

Mais que a saudade das lembranças, cultivo o prazer de viver no limite de minhas possibilidades de liberdade e fé. Com base em valores de verdade e justiça associo minha honestidade e simplicidade intelectual à paixão por uma Trofa que por herança de gerações de família também é minha e que desejo deixar melhor para todos os que por paixão continuam achar valer a pena por cá permanecer. Bem hajam.

Hélder Castro

O meu nome é Hélder Castro, orgulhoso trofense, sou autor de 2 livros de poesia, tenho cão, periquito, e gel no cabelo. Escrevo de tudo, pensando em tudo, escrevo com tudo o que tenho. Sem nunca tirar o gel do cabelo.

José Calheiros

Escrever para testar a capacidade de nos rirmos de nós próprios e de não nos levarmos demasiado a sério, sempre com o desafio à diferença de opinião

Francisco Sousa Barros

Pela positiva, pela música, pela cultura, pela multiculturalidade, pela diversidade e pela idiossincrasia trofense no E a Trofa é minha.

José Maria Moreira da Silva

A liberdade é muito mais que uma simples escolha; ela alimenta os sonhos dos que não têm medo ou preguiça de sonhar. É a possibilidade de usar a razão, em concordância com o nosso pensamento.

Quero aproveitar este espaço de liberdade, para ser livremente livre naquilo que penso e escrevo, sem qualquer tipo de medos ou amarras.

Márcia Pinto

Indigno-me com a desonestidade, o aproveitamento sociopolítico, a mediocridade e superficialidade com que se trata dos assuntos da comunidade em geral, em prol dos interesses pessoais. Manifesto-me quando sinto o desprezo pelos assuntos relacionados com os mais desprotegidos socialmente: crianças e idosos. Lema de vida: Se não tens a oportunidade de fazer grandes coisas, faz pequenas coisas de forma grandiosa.

Manuel Veloso

O meu nome é Manuel Veloso, sou natural de Lousado, mas sempre familiarizado com a Trofa, por cá casei e fiquei, desde 1993. Sou fotógrafo amador, uma das minhas paixões dos tempos livres, e esse hobby levou-me a desenvolver uma consciência ambiental e social especialmente sobre a nossa terra. É essa consciência que pretendo partilhar com todos, através dos meus \"clicks\" que revelam a forma como vejo as coisas, porque a Trofa também é minha...!

Autor Convidado

Sem descrição

César Alves

A minha luta é por um mundo pensante. Que as pessoas deixem de ser marionetas nas mãos dos poderes político, religioso, corporativo.... Seja o que for. Por isso, por aqui vou apelar ao civismo, à solidariedade e, como não podia deixar de ser, ao pensamento.