Obrigado pelas obras na escola E.B. 2/3 Napoleão Sousa Marques, cara Geringonça

por João Mendes 0

Em conversa recente com um amigo, um amigo informado e pouco permeável a paleio eleitoralista, descobri que existe, em parte da sociedade trofense, o entendimento de que as importantes obras de remodelação da Escola E.B. 2/3 Napoleão Sousa Marques, cujo custo ascende a mais de 3 milhões de euros, são fruto de uma grande aposta estratégica da autarquia na Educação, que, resultado de um milagre financeiro que teima em não se reflectir na baixa dos impostos municipais, que se mantêm entre os mais elevados do país, terá financiado esta requalificação.

Tal entendimento não corresponde, de forma alguma, à verdade.

Acontece que as obras em curso são, efectivamente, uma aposta estratégica, não da autarquia, que se limitou – e bem – a apanhar este comboio, mas da perigosa Geringonça que governa o país. Em Agosto de 2016, o executivo Costa aprovou em Conselho de Ministros a proposta 41/2016, que permite a contratualização da execução de investimentos de modernização de 217 escolas do país, num investimento global de 236 milhões de euros, financiado em 85% com fundos comunitários, ficando os restantes 15%, cerca de 45 milhões de euros, a cargo do Ministério da Educação e das autarquias, em partes iguais. A foto que abre este texto mostra precisamente o presidente da CM da Trofa a assinar o protocolo com o Ministério da Educação.

Significa isto que o investimento da autarquia na requalificação da E.B. 2/3 Napoleão Sousa Marques será de apenas 7,5% do montante total, apesar de, tal como previsto nos Pactos Territoriais para o Desenvolvimento e Coesão, serem as autarquias locais as promotoras do investimento em questão. No limite, caso a requalificação do velhinho ciclo não esteja classificada como prioritária, o que seria bizarro, o investimento da autarquia poderá ir até aos 15%, o que ainda assim está a léguas dos 100% que muitos trofenses acreditam que serão assumidos pelos cofres da autarquia.

Assim, importa esclarecer que, do investimento inicial de 3.091,577,03€, caso não se verifique a habitual derrapagem, compete à autarquia um investimento de 231.868,00€, caso a obra em questão seja considerada prioritária. Caso contrário, falamos de um investimento total de 463.736,00€, o que de resto me parece algo improvável, dadas as circunstâncias em que se encontrava a E.B. 2/3.

É caso para agradecer ao governo de António Costa, que, ao contrário do antecessor, constituído pelos mesmos partidos que governam a Trofa desde 2013, fez um investimento relevante na nossa terra. Do governo Passos/Portas, importa sublinhar, recebemos investimento nenhum. E eu ainda sou do tempo em que se criticava – e bem – o executivo Joana Lima de não beneficiar do facto de ter o seu partido no governo central, algo que de resto se repetiu com o executivo Sérgio Humberto e o com o anterior governo, apesar daquela célebre encenação sobre a obra de uma variante low cost que nunca chegou a sair do papel. Como pai que um dia espera ter o seu filho a frequentar a E.B. 2/3 Napoleão Sousa Marques, só posso estar grato pela aposta deste governo na educação. Valeu a pena fechar a torneira aos colégios privados. 

Muito obrigado pelo investimento na escola pública do concelho da Trofa, cara Geringonça!

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.