Transportes públicos… ocasionais!

por João Mendes 0

Foto: O Notícias da Trofa

O tema que vos trago hoje é, a meu ver, uma das grandes falhas deste concelho: os transportes públicos. Para fora e também cá dentro.

Aqui há uns tempos, precisei de me deslocar até Santo Tirso de autocarro, uma vez que o local para onde eu queria ir ficava longe da estação de comboios e de transportes públicos não tinha outra opção. O problema começou logo por ser descobrir que empresas faziam o transporte de passageiros da Trofa para lá. Aqui talvez a culpa também seja um pouco minha, que por nunca ter precisado destes serviços nunca estive atenta aos autocarros que vão parando algures pela Trofa. Mas a verdade é que também não sou obrigada a saber isso.

Dias antes, na minha humilde inocência, pensei: ora bem, vou até à paragem de onde pretendo partir e deve ter lá o horário. Mas não, não estávamos a falar do Porto ou de Braga e nem sequer o número de uma companhia de táxis tinha ali. Pergunta aqui e pergunta ali, uns quantos telefonemas, e lá descobri que autocarro poderia apanhar e a que horas.

Tudo isto para dizer que como se já não bastasse ser uma aventura circularmos pela Trofa no nosso próprio carro (e ainda jazem vários pneus por aqui, mas isso são cenas para outros capítulos…), sair daqui de outra forma também é difícil. As próprias empresas de viação também não se esforçam, a começar pelos seus sites (vejam este exemplo e digam-me se por aqui entendem a que paragens correspondem certos nomes. É que nem o preço do bilhete fico a saber!), e nós, utilizadores em geral, somos pouco reivindicativos com pequenos pormenores que nos facilitariam a vida.

Outro problema prende-se tão simplesmente com a circulação dos trofenses dentro do próprio concelho. Há zonas da Trofa sem qualquer tipo de transporte público a passar por perto, ou então, quando os têm, os mesmos só por lá passam meia dúzia de vezes ao dia, o que é claramente insuficiente (assim de repente, lembro-me, por exemplo, da zona de Cidai, cujos autocarros que ligam esta zona ao centro da Trofa são pouquíssimos!).Poderíamos dizer que não são assim tantas pessoas a precisarem destes serviços, ok. Mas só porque são uma minoria estas pessoas não têm direito a circularem dentro e fora do concelho?

E nisto lembrei-me, até porque sempre fiz questão de frisar que ia voltar a isto sempre que tal se verificasse necessário, de pegar no programa eleitoral que a coligação PSD/CDS-PP, actualmente à frente do destino do concelho, nos apresentou em 2013. Na página 8 está lá bem claro:

“Fazer levantamento, através de estudo especializada, da possibilidade de criar uma mini-rede interna de transporte público passageiros tendo como ponto de partida as estações de caminho de ferro e apeadeiros existentes.”

Sendo algo que demora o seu tempo, e não sabendo até que ponto poderíamos ter aqui uma espécie de TUT (Transportes Urbanos da Trofa, como existe em Santo Tirso, Guimarães, Braga, etc.), espero que algo já esteja a ser feito para não vermos pequenos autocarros municipais a circularem apenas nas eleições de 2017…

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.