Blogue E a Trofa é Minha alvo de ataque organizado

por João Mendes 0

Fruto da falta de maturidade democrática de alguns democratas de fachada, a página de Facebook deste blogue foi denunciada em massa e, conforme ditam as regras da rede social, sempre que o estimado leitor tentar clicar na hiperligação que dá acesso directo a um qualquer conteúdo do E a Trofa é Minha, será ao invés disso redireccionado para uma página de Facebook que lhe apresentará a informação que consta na imagem em cima.Fiquem os nossos leitores descansados na medida em que, apesar do sinal de perigo que acompanha a opção “Seguir ligação”, não existe qualquer perigo associado em clicar na mesma que o redireccionará imediatamente para a publicação em causa. Tal só acontece porque determinadas pessoas organizaram centenas de outras pessoas para nos atacar.

Trata-se de mais uma tentativa de silenciar a liberdade de expressão das pessoas que produzem, com total legitimidade democrática, os conteúdos apresentados neste blogue que, a julgar pelo trabalho que centenas de pessoas tiveram, incomoda mesmo muita gente. Porque se não incomodasse, eles não se dariam a este trabalho.

Quero ainda deixar 3 notas sobre o sucedido, todas a título pessoal:

1. Aos nossos leitores, dizer-lhes que somos totalmente imunes a este tipo de pressões, que vamos continuar o nosso trabalho doa a quem doer, e que o nosso compromisso, agora e sempre, é com a Trofa. Aproveitamos para agradecer a vossa preferência, o vosso apoio que muito nos motiva e inspira e as inúmeras mensagens de apoio que vamos recebendo.NADA NEM NINGUÉM nos irá demover da missão a que nos propusemos desde o primeiro minuto. Muito obrigado por caminharem ao nosso lado, pelo carinho e pela força. A Trofa também é nossa, não apenas daqueles que se acham a aristocracia local;

2. Aos hipócritas manipuladores, dizer-lhes que é uma honra que tenham perdido tantas horas do vosso valioso tempo para sabotar um simples blogue, o que contraria determinadas declarações que vão no sentido de sermos irrelevantes. Não somos. E se dúvidas houvesse, as vossas práticas subversivas para nos tentarem silenciar são esclarecedoras sobre o impacto dos nossos conteúdos e do vosso carácter mesquinho. Este foi um trabalho profissional, custou-vos tempo e dinheiro, e ainda que a página actual deixe de funcionar, cá estaremos para criar tantas páginas quantas forem necessárias;

3. A todos aqueles que foram arrastados para isto, sem saber muito bem porque o fizeram ou estão a fazer, quero dizer-vos que vocês não precisam de fazer isto. As pessoas que vos influenciaram a seguir este comportamento estão apenas ausar-vos para a prossecução dos seus próprios objectivos. Estão a aproveitar-se de vocês. A instrumentalizar-vos. Estão-se nas tintas para vocês ou para o que vocês acham, querem apenas usar-vos para nos silenciarem. E se o fazem é porque têm algo a esconder. Acham verdadeiramente que faz sentido denunciar um blogue que a única coisa que faz é emitir opiniões, assentes em factos, se não houvesse algo mais por trás de tudo isto? Está nas vossas mãos serem verdadeiros democratas ou meros carros telecomandados sem vontade própria ao serviço de que vos vê como meros peões no seu xadrez de poder. Lembrem-se que um dia podem estar deste lado. E quando foram descartados, este blogue continuará do vosso lado.

Estes comportamentos demonstram bem até onde alguns pobres de espírito estão dispostos a ir para deturpar a realidade. Demonstram o espírito maquiavélico de gente que desfila sorrisos hipócritas para a fotografia mas que não olha a meios para atingir fins. Demonstram a falta de preparação democrática e cívica destes falsos moralistas que enchem o peito para falar de respeito e dignidade mas que não hesitam em embarcar na mais baixa e reles subversão para calar vozes incómodas. Força! Denunciem. Risquem carros. Façam esperas se quiserem. Mas no final do dia, enquanto eu e os meus colegas continuamos a dormir descansados, vocês contorcem-se na cama, invadidos por pensamentos que vos explicam, na clarividência do silêncio da noite, que não passam de arruaceiros rudes sem personalidade. Caudilhos terroristas. Velhos, velhos, velhos do tempo da União Nacional. Vocês sentem ódio. Eu sinto pena.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.