Executivo camarário “infiltra-se” no passeio da UF de Bougado a Fátima

por João Mendes 0

Foto: Página oficial do Presidente Sérgio Humberto@Facebook

Há anos anos, poucos, atrás, o executivo então liderado por Joana Lima promoveu um passeio ao concelho de Baião, governado então pelo seu amigo José Luís Carneiro. O passeio, que terá abrangido cerca de 1500 séniores trofenses, foi imediatamente criticado pela oposição à direita. Entre as críticas, regra geral encobertas pela cobardia do anonimato em blogues e redes sociais, destaque para as acusações de utilização de recursos públicos e instrumentalização dos idosos em nome do eleitoralismo.

Passados quase 5 anos, a junta de Freguesia da União de Freguesias de Bougado promoveu uma actividade idêntica, que levou 700 trofenses num passeio ao Santuário de Fátima. Para além do presidente Luís Paulo e de outros elementos de sua equipa, marcaram também presença no passeio o presidente da Câmara Sérgio Humberto, o vice-presidente António Azevedo e a vereadora da Acção Social Lina Ramos.

Perante esta situação, confronto-me com várias questões. Logo à cabeça, pergunto-me onde estarão os mesmos indignados que em 2010 acusavam o executivo socialista de eleitoralismo. Será que também acham que este passeio foi eleitoralista, um exercício de caça ao voto, financiado com dinheiro de todos os trofenses? Por outro lado, estarão os sociais-democratas a tentar instrumentalizar os idosos do nosso concelho que participaram neste passeio? Não sabemos e provavelmente não chegaremos a saber. É que este tipo de membros da claque não primam pela coerência, primam apenas pela defesa cega do partido pelo qual abanam a bandeira, que o tacho e/ou o ajuste directo pode estar ao virar da esquina.

Outras questões que me ficaram na mente têm a ver com o facto de uma iniciativa da junta de Bougado ter levado consigo o executivo camarário em peso. Quem pagou as deslocações de Sérgio Humberto, António Azevedo e Lina Ramos? Fará sentido que o executivo camarário se “infiltre” a uma iniciativa que não é sua? Seria mesmo fundamental que três tão ocupados responsáveis políticos do concelho se ausentassem do exercício das suas responsabilidades para se juntarem a este passeio? E a ser fundamental, algo que me parece estranho, porque não apenas um representante, porquê três?

Curiosamente, ou não, desta vez não houveram manifestações de desagrado à direita. Está tudo bem, ou não estivessem os interesses partidários como de costume à frente da Trofa. Questiono-me sobre o que seria dito e escrito no caso de no passado a junta de Bougado, ainda liderada por José Sá, tivesse organizado uma actividade semelhante e tivesse levado consigo Joana Lima, José Magalhães Moreira e Teresa Fernandes. Pois é caro leitor, chama-se dualidade de critérios. O eleitoralismo e a política subversiva dos incendiários cobardes com máscara de clone tem destas coisas.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.