Unam-se pela Trofa mas cuidado com o que devolvem!

por João Mendes 0

Incapazes de fazer frente isoladamente a um PS que, apesar das dívidas da CMT e de alguma inoperacionalidade, conseguiu arrumar parcialmente a casa, os partidos da direita trofense uniram-se em coligação para tentar destronar o executivo liderado por Joana Lima. Unidos pela Trofa é o nome da aliança firmada entre CDS-PP e PSD que tem como “comandante” Sérgio Humberto, antigo dirigente da JSD Trofa e quadro do executivo de Bernardino Vasconcelos.

Como não estive presente em nenhuma das “aparições” públicas de Sérgio Humberto, fiz a minha pesquisa. A máquina eleitoral está muito bem montada (é, de longe, a mais “oleada” e no contexto eleitoral autárquico nacional é globalmente a melhor preparada) e existe uma longa lista de vídeos disponíveis no Youtube, bem como uma rede de partilha de fotos e informação seleccionada alicerçada fundamentalmente na JSD Trofa que tem trabalhado com afinco a partilhar fotos, vídeos e pequenos trechos dos discursos do seu líder e, em menor escala, dos candidatos às Juntas de Freguesia. Material suficiente para ficar com uma ideia sobre o percurso da coligação.

O ponto mais negativo, a meu ver, é a ausência de um programa eleitoral concreto e estruturado. Depois de meses a confraternizar e tirar fotografias com alguns trofenses, seria de esperar mais do que discursos com “compromissos” ainda muito superficiais: pedia-se um plano de trabalho oficial com acções concretas no papel. Um documento objectivo sobre como colocar em prática o que se vai propondo em sucessivas aparições de campanha. Discursos heróicos e inflamados, repletos de ideias interessantes mas vagas, não são suficientes para clarificar aquilo que a coligação quer/consegue efectivamente fazer. A menos de um mês das eleições os trofenses precisam de saber mais e qualquer análise pecará por falta de informação. Espero que chegue em tempo útil que nos permita avaliar uma das opções que temos em aberto.

Voltando à minha pesquisa, comecei por ver os vídeos. Fotos no Facebook com palavras de ordem e outdoors com caras não informam ninguém. O primeiro vídeo que vi foi o dodiscurso de Sérgio Humberto na assinatura do acordo da coligação. Uma das coisas que me chamou a atenção desde logo foi uma referência ao facto da coligação ter colocado a Trofa acima dos partidos. Parece-me um bom princípio. Fiquei no entanto admirado por Renato Pinto Ribeiro ocupar um modesto quarto lugar na lista à CMT, um lugar só elegível em caso de vitória. Apesar das diferenças óbvias de eleitorado existe pouco espaço para o CDS-PP Trofa.

Contudo, um dos aspectos que mais me deteve a atenção foi esta afirmação de Sérgio Humberto:

“[…] vamos devolver o orgulho à Trofa. Devolver a credibilidade, a força e a ambição por um futuro melhor […]”

A utilização do termo “devolver” deixou-me de pé atrás. Será que estamos aqui perante uma alusão ao passado que, apesar de tudo, ficou marcado por uma dívida imensa que herdamos do executivo anterior? Quero acreditar que a utilização do termo “devolver” foi uma gralha. Porque se não foi tenho razões para ficar preocupado. É que como trofense (e acredito piamente que não serei o único), não me apetece nada ver devolvida qualquer herança desse passado que trouxe obras importantes mas que as deixou praticamente por pagar. Aliás, a eleição de Joana Lima há quatro anos atrás foi precisamente um sinal claro de que os trofenses não estão lá muito virados para que nos devolvam grande coisa daquele tempo. Se a coligação vencer as eleições, espero sinceramente que o seu mandato seja marcado pela “credibilidade, força e ambição por um futuro melhor”. Não existe grande credibilidade a devolver do passado de governação de direita na Trofa. A dívida que herdamos não trouxe um futuro melhor para quem quer que seja… A menos que isso seja o equivalente a sermos simultaneamente um dos concelhos mais jovens e endividados do país!

P.S. Este texto foi escrito há uns dias atrás. Decidi publicá-lo hoje por ter visto alguns simpatizantes/militantes da coligação a fazer partilhas de material de campanha da mesma usando novamente a palavra “devolver”. Vejam lá o que devolvem…

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.