SMED FEST: a arte de fazer muito com pouco

por João Mendes 0

Directamente de São Mamede do Coronado, um grupo de jovens com iniciativa e sangue na guelra continua a dar cartas no panorama musical local e não só. A Quebra Sentidos – Associação Cultural é, como o próprio nome indica, uma instituição dedicada à promoção da cultura em diferentes vertentes, da música à pintura ou a fotografia, organizando concertos e exposições, potenciando a arte a vários níveis e elevando, desta forma, o nome do Coronado e da Trofa a um patamar que é uma referência no nosso concelho e arredores.

Pelo sexto ano consecutivo, esta associação traz-nos o SMED FEST, um dos maiores e mais duradouros eventos musicais da nossa terra, que ao longo da sua já considerável existência conseguiu, com parcos recursos, trazer até ao território diamante algumas bandas e artistas de referência no panorama nacional, bem como outros projectos de enorme valor que fazem hoje o seu caminho por diferentes salas de espectáculos um pouco por todo o país.

Na edição deste ano, o cartaz apresenta um alinhamento de luxo para quem está farto de ouvir fotocópias radiofónicas, com projectos que oscilam entre diferentes sonoridades rock e hip hop, e o evento deixa pela primeira vez os recintos fechados para se instalar, durante o fim-de-semana de 30 de Setembro e 1 de Outubro, na Quinta de São Romão, junto à estação ferroviária de São Romão do Coronado, uma estreia num espaço ao ar livre que, acredito, irá garantir uma experiência muito diferente da vivida em anos anteriores.

Em associação com a Caixa Cartão, uma produtora ligada a área multimédia e artes gráficas, que, ao que me foi possível apurar, partilha do espírito empreendedor da Quebra Sentidos, a organização do SMED FEST, acredito, será um grande sucesso e valerá bem a pena passar por lá. O custo do bilhete diário é de 5€, ao passo que o passe para os dois dias fica nos 8€, uma redução face ao ano anterior, e inclui campismo grátis e acesso a um skatepark improvisado, a que se juntam os 15 concertos previstos para os dois dias deste autêntico festival de Outono com cheiro a Verão. O alinhamento pode ser consultado neste link.

Numa terra em que tantos se queixam porque “nunca se passa nada”, o SMED FEST é uma lufada de ar fresco numa Trofa centralista que, não fosse o esforço valoroso de algumas associações, e algumas iniciativas que vão surgindo com o apoio das juntas de freguesia como a Festa de Rua no Muro ou o Coronado ConVida, teria quase todos os eventos culturais concentrados em Bougado. Importa apoiar estas iniciativas, não só para que cresçam e se multipliquem, mas também porque o esforço e a dedicação de pessoas como as que fazem o SMED FEST sejam valorizados e reconhecidos. Portanto, se o caro leitor não tem planos para o último fim-de-semana do mês, e se lhe apetece levar uma injecção de boa música para além da repetitiva playlist da sua rádio favorita, saia de casa e passe pela Quinta de São Romão. No Sábado, ao estilo dos melhores festivais de Verão, a festa começa às 15h e prolonga-se pela noite dentro. Siga! O SMED FEST está à sua espera.

Cartaz via Facebook SMED FEST

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.