Uma grande pedrada no charco da Assembleia Municipal

por João Mendes 0

A última Assembleia Municipal, no passado dia 30 de Novembro, voltou a ser palco de atitudes infantis, abusos de poder, falta de educação e pouca vergonha. Às vezes, quando me cruzo com o ocasional indivíduo do contra, é-me atirado á cara que devia ir mais vezes às Assembleias Municipais, de outra forma, lá nas concepções alucinadas desses indivíduos, não tenho o direito de as comentar. É claro que tenho e, infelizmente, é claro que cada vez menos lá meto os pés. Para assistir a tristes espectáculos como o que se viu na passada semana, fico em casa ou vou ver o concerto dos Cão Voador com os Meninos Cantores, que fico muito melhor servido. Depois vejo a transmissão na Trofa TV. Vai dar ao mesmo e evito perder tempo com politica baixa, barracadas e aldrabices.

Mas a mais recente sessão, para além das inúmeras pérolas que vos trarei nos próximos dias, teve um dos mais belos momentos que vi, até hoje, numa Assembleia Municipal. Eu posso ter perdido a paciência para estar três horas sentado a assistir no local, mas não perco uma. E esta teve o condão de nos dar a soberba intervenção do Paulo Martins, que em poucos minutos deu uma chapada de luva branca na cara da classe política trofense, em especial no PS e no PSD, que simplesmente não conseguem parar de nos manipular, há muitos anos, com este assunto. Mas não me alongo mais, o Paulo disse quase tudo o que havia para dizer. Deixo-vos com a intervenção da noite.

Exma Presidente da Assembleia Municipal e restantes elementos da mesa;

Exmo Presidente da Câmara Municipal da Trofa, restante executivo e vereação;

Sras e Srºs Deputados da Assembleia Municipal

Trofenses

Boa noite. Hoje estou aqui neste púlpito para administrar uma injeção de Trofismo a todos os políticos da Trofa que infelizmente foram infetados por uma bactéria grave, denominada de Partido Político. Concordo que cada um defenda o seu ideal, mas que acima do partido vista as cores da Trofa.

Desde que nos tornamos concelho, tenho vindo assistir a uma evolução da Trofa, mas a ritmo de caracol. Posso estar enganado, mas esta é a minha visão. Todos os executivos fizeram coisas boas e coisas menos boas para a Trofa e para os Trofenses. Há anos que lutamos para a vinda do Metro até à Trofa. Como todos já sabemos, a Trofa e os Trofenses andam há anos à espera da concretização desta obra. Ora avanços e recuos, e no final o resultado??? TUDO NA MESMA!!!

Estou cansado de ser enganado! É necessário mostrar aos senhores que nos governam em Lisboa, seja de que partido for, que nós Trofenses não somos burros, e vimos passar à frente construções de outras linhas que estavam programadas posteriormente à linha da Trofa. Os estudos estão feitos, há anos; não me convencem com a teoria do “não viável, que dará prejuízo” etc. etc. etc. Aplaudo a luta e a persistência dos habitantes da freguesia do Muro, que com ajuda do seu representante, o Sr. Carlos Martins, presidente da junta, tentam de todas as maneiras e feitios que se faça justiça. Infelizmente já concluímos que não chega!!! Os habitantes do Muro não são cerca de 40000!!! O Metro não é denominado Metro até ao Muro, mas sim até ao centro da Cidade da Trofa. Já fizemos petições; executivo após executivo camarário, dizem que estão em conversações com a Tutela etc. etc. etc. Mas o que é um facto, é que continuamos na mesma = SEM METRO.

Penso que é hora de mudar, assumirmos o que queremos e efetivamente, se queremos a vinda do Metro até à cidade da Trofa. Esta é a primeira questão. Caso seja afirmativa, penso eu que sim, lanço aqui, nesta Assembleia Municipal, um repto a todos os nossos responsáveis, presidente da assembleia municipal, executivo e vereação, deputados aqui presentes e respetivos elementos partidários, para que se mude a forma de luta. Como diz a música, Está na hora de fazer o que ainda não foi feito! Há 18 anos levamos cerca de Dez mil Trofenses a Lisboa buscar o Concelho. Penso que não serão precisos tantos para que, e de forma ordeira e pacífica, bloquear as principais linhas do Metro no Centro do Porto. Chamem-me radical, louco, mas não desisto de lutar pela nossa Trofa e por aquilo que nos foi prometido há anos. Deixemos a camisola dos partidos em casa e usemos uma só: a da Trofa. Formemos uma comissão organizadora com elementos de todos os partidos, e cidadão anónimos. Eu próprio estou pronto para trabalhar nesta iniciativa, mas para isso é necessário que haja vontade de todos!!! Sr. Presidente da Câmara Municipal da Trofa, termino com a seguinte: Gostava de saber qual a sua opinião sobre uma iniciativa deste género! Obrigado e boa noite.

Espero que os destinatários tenham sentido a devida vergonha na cara. Já começa a ser tempo.

Foto: O Notícias da Trofa

 

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.