Informar e participar para promover a Democracia

por João Mendes 0

Um dos principais motivos para que a Assembleia Municipal (AM) da Trofa esteja habitualmente tão vazia, paralelamente a questões como a falta de interesse da população (a AM da tomada de posse não pode ser tomada como exemplo, parecia mais uma gala da Caras do que uma AM a sério) ou o descrédito da classe política em geral, diz respeito à falta de informação disponível sobre a mesma. Acredito sinceramente que, num cenário em que o cidadão estivesse mais e melhor informado, a afluência a estas reuniões seria mais elevada, o que contribuiria para mais participação e para um melhor exercício da democracia no nosso concelho. Algo que, como todos nós sabemos, não interessa a muito boa gente que joga no campeonato do dito pelo não dito.

O que se pode então fazer para contrariar este fenómeno e conseguir uma AM mais participada? O cidadão comum pouco mais pode fazer do que divulgar aos seus contactos. Mas os nossos governantes locais podem e devem fazer bem mais! Em primeiro lugar, e uma vez que a coligação vai manter a página Unidos pela Trofa no Facebook, tal seria um “veículo” com alcance considerável para a divulgação das “reuniões magnas” do concelho da Trofa. Não sei se consideraram a ideia mas parece-me interessante. Da mesma forma, o site da coligação poderia funcionar como um complemento à acção virtual das redes sociais. Em ambos os casos, não só se poderiam divulgar as AM’s como também as Assembleias de Freguesia. Claro que tal implica que a informação seja disponibilizada com alguma antecedência e não a 2 ou 3 dias da realização da assembleias.

Outra alternativa de divulgação diz respeito a um melhor aproveitamento do Boletim Municipal. Esta publicação camarária de periodicidade irregular pode e deve contar com uma página dedicada a informar os cidadãos de todas as acções previstas para o período entre a sua publicação e a publicação prevista para o número seguinte. Mais: se fosse reduzido ao mínimo o seu custo, este boletim poderia ter mais periodicidade e chegar a mais cidadãos, principalmente a uma franja mais envelhecida da população onde as redes sociais não chegam ainda em força.

Mas não é só ao(s) partido(s) no poder que compete esta missão. Todas as forças políticas do nosso concelho podem também ajudar ao processo através das suas páginas nas redes sociais, dos seus sites ou outros meios de comunicação de que dispõem, passando desta forma informação aos seus militantes e simpatizantes que, por sua vez, podem informar outras pessoas.

A AM não se resume a uma reunião entre as forças políticas do concelho. É um espaço aberto de debate e partilha onde a participação popular deve ser uma prioridade. Para que tal aconteça, é necessário mais empenho da autarquia, dos partidos políticos e dos cidadãos em geral. A própria presidência da AM, actualmente liderada por Isabel Cruz, pode, por exemplo, criar um site/página no Facebook onde vai colocando os trofenses a par das suas actividades, datas e agendas da assembleia.Potenciar a participação da população é uma vitória da democracia para a qual todos devemos contribuir. Também aqui se impõe uma nova era na condução dos temas políticos do concelho da Trofa. 

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.