Team Lantemil: mais do que a organização de um excelente trail, um enorme exemplo para o nosso concelho

por João Mendes 0

O Team Lantemil foi criado a 23 de Junho de 2016, por um grupo de aficionados pela corrida. Rapidamente passou de um pequeno grupo para uma multidão de corredores, que se junta todas as Quintas-feiras para correr e ajudar causas nobres, numa iniciativa denominada “Trofa a Correr”, que o Luís Ferreira Gomes nos deu a conhecer, neste espaço, à cerca de um mês.

Pouco mais de um ano após a sua criação, o Team Lantemil organizou o I Trail Trofa, uma iniciativa que hoje reuniu mais de 500 pessoas, entre amadores e profissionais, e que proporcionou aos trofenses – e não só, vieram equipas de outras partes do país – uma manhã diferente.

A prova foi dividida em três percursos diferentes. Para os atletas mais corajosos e melhor preparados, o trail longo começava às 08:30h, e estendia-se por aproximadamente 25km. Às 09h arrancava o trail curto, como uma extensão total a rondar os 15km e, poucos minutos depois, teve início uma caminhada de 9km. Em qualquer uma das variantes, os participantes tiveram a oportunidade de percorrer alguns dos espaços mais bonitos do concelho, monte acima, monte abaixo, e apreciar belas paisagens, sempre atentos ao chão para que a coisa não corresse mal.

Sendo eu um estreante nestas andanças, não tinha grande termo de comparação para avaliar a qualidade da organização da prova. Contudo, à medida que a prova avançava e que eu ia falando com outros participantes e ouvindo o que se ia dizendo, percebi que a organização deste trail, e note-se que foi o primeiro que o Team Lantemil organizou, foi excelente e acima de todas as expectativas. Foi também a sensação com que fiquei. Percursos bem delineados, uma equipa de apoio bem posicionada para auxiliar os participantes, sempre com uma palavra de incentivo, vários postos de abastecimento, um deles um autêntico banquete no meio do monte – o trail longo teve dois destes, que correr 25km carece de muita água, alimento e sobretudo sal, uma das lições que hoje aprendi com um atleta mais experiente – tecnologia de ponta, para garantir um controlo detalhado dos trajectos e tempos de cada corredor e, no final, depois de uma difícil subida da escadaria de São Gens, uma animada recta da meta com música e um speaker a puxar pelos atletas nos últimos metros.

O percurso, como se podia ler numa simpática tabuleta colocada pela organização no topo de uma das subidas mais íngremes, “não era para meninos”. Que o digam as minhas pernas, que a esta hora ainda estão meias desmaiadas, apesar da massagem e de terem passado toda a tarde em repouso. Subir era tarefa complicada, mas descer não era propriamente fácil e nem os santos ajudavam. Entre pedras soltas, terra que deslizava e uma inclinação que por vezes era tal que os trambolhões lá iam acontecendo, houve mesmo que tenha sido assistido no local. Contornamos buracos, atravessamos riachos e túneis, um deles uma espécie de discoteca improvisada com néons e colunas de som, e os pés iam ficando molhados, os dedos a latejar, os gémeos doíam e as coxas pareciam preparadas para se desmoronar. Mas sempre que alguém proferia a palavra “desistir”, imediatamente havia alguém, conhecido ou não, a puxar por ti. “Está quase”. Com muito esforço, com a minha equipa quase intacta, mas no limite das nossas forças, lá chegamos todos ao fim, quase três horas após termos começado. Nada mau para uma estreia.

Terminada a corrida, havia um último posto de abastecimento, para repor energias, uma Ora et Labora, cerveja de fabrico trofense do “artesão” Pedro Sousa, uma tenda de massagens da Policlínica Luís Terra e, mais abaixo, uma cantina bem organizada pela equipa do Team Lantemil com bebidas, caldo verde, bifanas e barriguinhas. Por 8€ a 10€, dependendo do percurso em que cada um se tinha inscrito, a que acrescia uma t-shirt, um gel energético e um cantil, vim de lá com a sensação de ter ficado a dever uns trocos ao Team Lantemil.

Muito mais haveria a dizer, e estou certo que cada participante viveu uma experiência incrível, ainda que com um azar ou outro à mistura, mas quero terminar endereçando daqui os parabéns ao Team Lantemil, não só pela bela prova que organizou, conseguindo a proeza de, em tão pouco tempo de existência, fazer com que a mesma fosse integrada no circuito nacional de acesso à Taça de Portugal da modalidade, mas também pelo fantástico convívio no qual tive hoje a oportunidade de participar, pela natureza solidária das suas iniciativas semanais, pelo importante estímulo à prática desportiva e aos hábitos de vida saudáveis e pelo sucesso de uma das iniciativas que mais pessoas mobilizou no concelho da Trofa nos últimos tempos. É possível fazer mesmo muito com muito pouco. O Team Lantemil é a prova disso. Mais do que a organização de um excelente trail, um enorme exemplo para o nosso concelho. Venham mais destas e bem hajam! Se tiver força nas pernas na próxima Quinta-feira, lá estarei para começar a correr convosco!

P.S: Passem nas páginas do I Trail Trofa e do Team Lantemil no Facebook, coloquem o vosso "gosto" e aproveitem para ver as muitas fotografias da prova de hoje, que já estão disponíveis!

Fotos (capa e final): Sabor da Imagem@Facebook Team Lantemil

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.