Uma «curta» nota para avivar memória de barões e baronesas que mentem e manipulam

por João Mendes 0

Tenho andado particularmente dedicado ao esmiuçar dos meandros do poder político local, tal como fiz em 2013, antes das autárquicas que levaram este executivo ao poder, e não queria perder o foco, apesar das constantes provocações encomendadas por certos e deteriminados barões e baronesas do regime. No entanto, e porque dita elite se muniu de um exército de soldados cegamente obedientes e facilmente manipuláveis para fazer o seu trabalho sujo, que barão que é barão manda sempre um soldado raso sujar as mãos por ele, vejo-me confrontado com a necessidade de reavivar memórias às mentes manipuladas, mas sobretudo aos barões e baronesas que as envenenam, da realidade que os segundos tentam manipular e que os primeiros, por algum motivo que simplesmente não consigo perceber, não ousam questionar, tal é a cegueira que o vislumbre do poder lhes causa. Ou será a sobrevivência do tacho? Não sei, são detalhes que apenas interessam aos barões, baronesas e respectivos boys.

Vamos lá a factos, queridos barões, baronesas, soldados e abanadores de bandeiras de campanha eleitoral. Quando terminaram de os ler, podem escolher uma de duas hipóteses: questionar a veracidade dos barretes que vos tentam enfiar, ou continuar a fazer aquilo que vos mandam fazer sem questionar,

Facto 1as críticas do PSD aos conteúdos publicados no blogue …e a Trofa é minha não são originais: são decalcadas das críticas feitas por socialistas em 2013.

Até nisso não se nota a diferença entre uns e outros, entre o velho e o actual regime. Em 2013 éramos acusados de estar a soldo do PSD pelo PS, hoje somos acusados de estar a soldo do PS pelo PSD. E, caso o PS ganhe as eleições, é altamente provável sermos acusados de estar a soldo do PSD em 2021. E assim sucessivamente. A pobreza desta argumentação é de tal forma triste, e ao mesmo tempo comovente, que chego a ter pena dos manipulados. Quanto aos barões e baronesas, é ilustrativo do tipo de pessoas que são.

Isto acontece, a meu ver, por vários motivos, ainda que haja um que se destaca: é que, à falta de argumentos para desmontar o trabalho aqui feito – e, acreditem, eles bem queriam uma oportunidade, só que não conseguem, coitados, e o desespero deles está patente no testa-de-ferro que arranjaram para levar a cabo ataques ad hominem no seu pasquim – a única saída que resta á elite, para desviar atenções dos factos, sejam as elites ligadas ao PS em 2013, sejam as elites ligadas à coligação em 2017, assenta na criação de boatos e mentiras, que impingem àqueles tropas que estão dispostos a tudo, não raras vezes adolescentes sem capacidade de discernimento – o que diz muito sobre a falta de escrúpulos desta gente – mais vezes ainda aqueles que beneficiam de tachos e similares. Depois é confrontá-los com os factos e vê-los engasgar, enquanto barões e baronesas se escondem e usam os seus escudos humanos para passar entre os pingos da chuva. Repito: no dia que alguma acusação feita neste blogue não corresponder à verdade, eles virão com tudo para cima de nós. Até ver, como diz a minha santa mãe, “béu”.

Facto 2sabes o que eu fiz no Verão passado (no de 2013)?

Não foi bem no Verão, mas acho piada à expressão e vai de encontro às demências paranoicas dos teóricos da conspiração político-partidária encomendada. Ora vamos lá a mais um facto: algures entre Fevereiro e Março de 2013, fui convidado pela JSD Trofa para um reunião na sua sede, onde estiveram presentes vários elementos que não preciso de nomear, eles devem recordar-se. O blogue …e a Trofa é minha ainda não existia, mas eu já me dedicava afincadamente a combater os abusos do regime joanista nas redes sociais e nos blogues das juventudes partidárias. Mais ou menos como faço agora com o actual regime, com a diferença que agora tenho plataforma própria. Apesar das nossas diferenças, havia um adversário comum, ainda que por razões diferentes: o executivo Joana Lima. Fui à reunião falar com os jotas laranjas, como iria a qualquer reunião falar com qualquer pessoa minimamente decente que quisesse falar comigo, e, horas depois, sai dali com um convite para o jantar de tomada de posse da JSD Trofa, que ingenuamente aceitei.

Curiosamente, ou talvez não, os mesmos barões e baronesas com memória de peixe que agora me acusam de ter um arranjo com o PS estavam quase todos nesse jantar. Os mesmos que, apesar de eu não ter criticado uma única vez os candidatos do PSD que se perfilavam para a eleição de 2013 – que motivo teria eu, se era uma equipa renovada sem grandes laços com o passado? – andam agora armados em hipócritas porque, coitadinhos, eu só crítico o poder local. Vou criticar quem? O Amadeu Dias que nunca exerceu funções executivas? Qual é a responsabilidade dele na situação económica ou nos grandes problemas da CM da Trofa? Acham que vou enveredar pela estupidez de criticar o homem por ser sobrinho de quem é? Digam-me lá, caros barões e baronesas, estou em pulgas para saber. Já agora, onde estava a vossa indignação quando eu era “tendencioso” e só atacava o PS, em 2013? Ou quando elogiava a coligação a poucos dias das eleições? Ou quando ajudei a coligação com a listagem de bandas para o seu comício final de 2013? Ou quando reportei o leak do contrato-tacho de Sérgio Humberto na era Bernardino Vasconcelos, por não aceitar que um anónimo cobarde torpedeasse o agora presidente com documentos de acesso restrito? Digam lá, distintos barões e baronesas, que eu fico aqui sentado à espera. 

P.S: Já agora, o que diriam vocês, meus caros, se eu me andasse a reunir com a JS, a participar em jantares com todo o partido, a apoiar a campanha do PS com sugestões para comícios e a reportar leaks de documentos confidenciais feitos por pessoas do vosso partido? Diriam que estou feito com eles ou remeter-se-iam ao mais cobarde silêncio? Não precisam de responder, já toda a gente sabe a resposta.

Facto 3A denúncia do leak do contrato-tacho de Sérgio Humberto

Já muito perto do acto eleitoral de 2013, com o executivo socialista a ser atacado em todas as frentes, o blogue começou a ganhar cada vez mais leitores, dia após dia, e é aí que nascem as criticas que estas pessoas decidiram plagiar aos socialistas. Nem nisso são originais. Originais só mesmo na criação de um editorial anónimo no seu pasquim, para atacar os seus adversários à boa maneira dos cobardolas. Adiante.

O que sucede? Sucede que alguém, sob anonimato, decidiu publicar o contrato de trabalho de Sérgio Humberto na caixa de comentários do blogue. Ora, sendo um documento confidencial, era lógico de que se tratava de alguém com acesso privilegiado à informação, possivelmente um barão ou baronesa do regime anterior. E o que fez este tipo do contra? Usou o documento para lixar o candidato Sérgio Humberto? Nada disso: denunciou a ocorrência à coligação Unidos pela Trofa e entregou-lhe todos os dados disponíveis do artista, para que a coligação pudesse fazer justiça. Porque, apesar de se tratar de um tacho, ninguém tem o direito de usar o acesso privilegiado à informação para atacar de forma cobarde um adversário político. Seja ele qual for.

No entanto, eu vi esse contrato. Vi e podia ter usado a informação que consta nele para atacar Sérgio Humberto pelo seu tachito de jota. Não o fiz em 2013, como não o faço em 2017. Apenas refiro o que toda a gente sabe: que foi um tacho que Sérgio Humberto recebeu do executivo Bernardino Vasconcelos.

Facto 4Quanto me terá pago a coligação Unidos pela Trofa em 2013?

Nada. Mas é sempre interessante dar aos barões e baronesas um gostinho do veneno que tanto destilam. Porém, a julgar pelas críticas que recebia em 2013 da ala socialista, agora plagiadas por inúmeros abanadores de bandeiras da ala direita, já tinha recebido uns trocos. Ataquei o executivo socialista por causa dos buracos, por causa da política dos comes e bebes – aquela que a coligação tem andado a fazer ultimamente, como se não houvesse amanhã – por causa de futilidades sem nexo, pela semana flop da juventude e várias vezes por causa da obra eleitoralista do Parque das Azenhas. E tudo isto apenas no blogue, que as grandes discussões estavam no Facebook, onde os dois grandes temas eram a obra dos parques e, uma vez mais, o Parque das Azenhas. A única coisa simpática que escrevi sobre o executivo Joana Lima tinha que ver com o reequilíbrio das contas em algumas rúbricas, algo que só um fanático doente partidário não reconhece como sendo bom.

Em sentido contrário, elogiei o professor Azevedo pelo seu trabalho na Junta de Santiago de Bougado, elogiei, como NUNCA o fiz por motivo nenhum relativamente ao executivo PS, a campanha da coligação por ter abdicado do camião de campanha para fazer um concerto com vários projectos musicais trofenses (que ingénuo que fui), aqueles que agora têm cada vez menos espaço no Belive, e isto apenas até ao dia das eleições. Desde então, durante estes quatro anos, elogiei, por diversas vezes, várias medidas e acções deste executivo. Apesar de todas as poucas vergonhas que foram acontecendo. Coisa que nenhum dos hipócritas que agora me acusa de sectarismo foi capaz de fazer relativamente ao executivo anterior, apesar de terem andado a fazer a propaganda das dívidas pagas a horas com o PAEL, o tal que os socialistas negociaram mas do qual apenas o executivo Sérgio Humberto beneficiou.

Se a memória de peixe vos coloca dificuldades, sugiro que evitem falar sobre temas que desconhecem. Mas se quiserem fazer essas figuras, são livres de as fazer. 

Facto 5Quando os altos oficiais da coligação gostavam, partilhavam e às vezes até elogiavam os conteúdos e autores do …e a Trofa é minha.

Não vos maçarei com muito mais parlatório. Daqui para a frente deixo as imagens falar por mim (e respectivos links, para que não restem dúvidas. Sugiro que os sigam porque o print screen é redutor e não faz jus à dimensão do apoio recebido pela malta do PSD só em Setembro de 2013. Como eles apreciavam os textos do gajo do contra LOL). Isabel Cruz (presidente da AM) e Maria Emília Cardoso (presidente do MMSD) presenteavam-me várias vezes com o seu “gosto”, sendo que os elogios da segunda já remontavam ao projecto Voz da Trofa, onde a social-democrata se desfazia em elogios à minha pessoa, texto após texto, principalmente quando algum tiro acertava num alvo socialista. Temos também o recorde de partilhas do mesmo texto para Joaquim Oliveira, antigo presidente da junta de Alvarelhos pelo PSD, que partilhou 3 vezes a mesma publicação. Temos outros protagonistas, os nomes são conhecidos, mas deixo a análise ao vosso critério. Serve o presente não para criticar estas pessoas, que cada um é livre para concordar e discordar do que quiser, mas para demonstrar àqueles que agora se deixam manipular que, da mesma forma que agora tentam reduzir este projecto a um blogue apoiado por socialistas, houve um tempo em que o apoio chegava, essencial e constantemente, de altos quadros do PSD. Para perceberem o quão imbecis são as suas insinuações e a dimensão da manipulação de que estão a ser alvo.

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151718555247881?pnref=story

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151730831127881?pnref=story

(oh meu Deus, ele está a elogiar a campanha da Unidos pela Trofa! Só pode estar a soldo das laranjas!)

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151729204057881?pnref=story

(Este é um dos meus preferidos e vale a pena seguir o link para ler os comentários. Os comentários e as partilhas. É vê-los a malhar no PS, em sintonia com o gajo do contra. Tão belo que me cai uma lágrima)

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151729022957881

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151726755752881

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151726754497881?pnref=story

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151718173852881?pnref=story

(este nem é pelos "gostos", é mesmo para provar o plágio que os haters actuais fizeram aos seus amigos socialistas)

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151713127342881?pnref=story

("oh, não! ele afinal malhava nos tachos do PS! Mas o chefe disse que não, que ele só nos atacava a nós? Que passou-se?")

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151709034452881?pnref=story

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151702553767881?pnref=story

(a espectacular sugestão da presidente da Assembleia Municipal nesta publicação é precisamente o caminho oposto que o Belive seguiu. Afinal já somos dois do contra lol)

Link: https://www.facebook.com/av3ntad0r/posts/10151700741892881

Link: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151743635002881&set=a.10153538940917881.1073741836.594222880&type=3&theater

(este até é de Outubro, mas não podia deixar de partilhar convosco, visto ser o tal que conta com o recorde de partilhas da mesma publicação, ainda por bater, do antigo presidente da junta de freguesia de Alvarelhos, Joaquim Oliveira)

Mensagem final para os soldados: caros soldados, façam um favor a vós próprios e não se deixem manipular ou servir de instrumento de propaganda nas mãos de barões e baronesas cobardes. Estão a ser tratados como objectos descartáveis, tipo a marioneta do pasquim, e correm o sério risco de ser descartados assim que deixarem de ter utilidade, como já aconteceu com tantos que fui conhecendo pelo caminho. Quando vos voltarem a meter um barrete sobre mim ou sobre qualquer outra pessoa que incomode os interesses instalados do regime, questionem, informem-se e não deixem que vos façam de parvos. Perguntem-me, que eu estarei aqui disponível para esclarecer. Porque se eles tivessem alguma coisa contra mim ou contra qualquer autor deste blogue, podem ter a certeza que não mandavam mensagem por vocês, recolhiam eles os louros. A menos que estejam a ser bem pagos para isso. Nesse caso, caros soldados, é sinal que se deixaram corromper. Diz quem por lá passou que dá origem a noites mal dormidas.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.