Cultura, esse parente pobre do concelho da Trofa

por Silvéria Miranda 0

Após anos sem frequentar bibliotecas municipais, esses belos equipamentos de acesso gratuito e que são (ou deviam ser) feitos a pensar em todos nós, decidi que nestas férias de verão estava mais que na altura de visitar algumas bibliotecas da zona e, sobretudo, usá-las. Sejamos francos: todos nós temos um papel nestes locais, uma vez que é a nossa visita e a nossa utilização dos serviços (requisição de livros, utilização dos computadores, leitura dos jornais do dia…) que os justificam.

Claro que um dos espaços que visitei foi a Biblioteca Municipal da Trofa, inserida na Casa da Cultura, no qual já me tinha inscrito como leitora há vários anos, mas que por diversas razões não tinha visitado nos últimos tempos. As maiores razões para essa não-visita são muito simples: embora funcione ao sábado (e acreditem que algumas bibliotecas têm um horário bem mais reduzido que a “nossa” aos fins de semana), durante os dias úteis o seu horário de funcionamento coincide com o meu horário de trabalho, para além de que, até ter viatura própria, deslocar-me até lá de transportes públicos era dispendioso e pouco cómodo (pelos horários e falta de informação de que já falei aqui há tanto, tanto tempo…). Claro que “quem quer arranja maneira e quem não quer arranja desculpa”, mas julgo que são estes fatores que fazem muitos dos que agora me leem não passarem por lá pelo menos ao sábado também.

Mas enfim, contornada esta questão do transporte e tendo mais tempo livre durante as férias, aventurei-me a revisitar a CCT, que continua a ser um espaço muito agradável e acolhedor sobretudo para quem quer estudar ou simplesmente navegar na internet nos computadores disponíveis. Não é um espaço grande, mas está relativamente bem cuidado e não nos envergonharia se se tratasse de uma espécie de extensão da nossa Biblioteca Municipal, coisa que não é, porque é lá que temos a própria da nossa Biblioteca Municipal…

E é aqui que quero chegar. Sou totalmente a favor da recuperação e utilização de espaços históricos e este teria servido como Biblioteca Municipal (e outras valências) durante os primeiros anos do concelho da Trofa sem qualquer tipo de problema. A questão é que já somos concelho há quase 20 anos… e continuamos sem um espaço pensado de raiz, capaz de albergar diversas artes e iniciativas, em que o investimento fosse gradual, porém regular, e no qual nos revessemos.

Ao percorrer as estantes (literatura nacional, internacional, poesia e literatura infantil), esperava ficar maravilhada como sempre me acontece quando percorro bibliotecas, livrarias ou similares, mas, pelo contrário, só me ocorria que a minha própria biblioteca pessoal consegue superar em atualidade, variedade e até mesmo quase em quantidade aquela que é uma biblioteca municipal. Deu-me a sensação – e desafio todos aqueles que conhecem um pouco do meio a fazerem uma visita a este espaço e a verificarem in loco – que o investimento na aquisição de livros tem sido muito próximo de zero nos últimos anos, porque os poucos títulos recentes que destas estantes fazem parte parecem ter sido doações aleatórias (já agora, aceitam doações. Se tiverem livros que gostariam que outras pessoas lessem, independentemente do género/edição/ano, já sabem onde os deixar!)

Por muitos clássicos que esta biblioteca tenha (de qualidade indiscutível), não há como cativar leitores de todas as idades e gostos sem variedade e atualidade. Sem investimento. E é pena, porque a forma como uma sociedade trata a cultura diz muito sobre ela própria, e eu não queria que fosse essa a identidade do concelho da Trofa. Chega de tratar a cultura como o nosso parente pobre…

 

Fotografia via Boa cama, boa mesa/Expresso

Silvéria Miranda

Sempre tive como velha máxima que os factos são sagrados e as opiniões livres. Foi com essa premissa que criámos este espaço e é por ela que me rejo em cada palavra que aqui escrevo. Sem qualquer interesse que não o de ajudar a construir uma Trofa melhor, mais justa e apelativa, digo orgulhosamente que sou tanto da Trofa como a Trofa é minha!

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.