Foi em Julho de 2013 que dois jovens trofenses, João Mendes e Silvéria Miranda, acharam que a Trofa necessitava de uma plataforma livre, não relacionada com partidos políticos ou interesses de outro teor, na qual todos pudessem participar como e quando quisessem. Daí até à criação do E a Trofa é minha, nome que se deve ao nosso tão querido hino, foi um instante.

O E a Trofa é minha sempre se afirmou como um blogue independente, multidisciplinar, não dono da verdade, mas à procura dela. Aqui não se proíbe o anonimato, mas também não se o incentiva. Não se criam perfis falsos para denegrir ou enaltecer quem quer que seja. Aqui não há tachos, nem cabe a vida privada de ninguém. Neste espaço só cabe a liberdade de expressão e a opinião fundamentada, com respeito pelo próximo e sem boatos à mistura.

Passados dois anos, deixamos o nosso pequenino blogue e passamos a usar um site com mais valências, capaz de chegar a mais pessoas.

E porque nem só de política se faz a Trofa, alargámos a nossa equipa. Com membros de diferentes freguesias, com diferentes interesses e provenientes de diferentes áreas do saber, aqui há espaço para tudo: ambiente, artes e cultura, desporto, associativismo, entre outros. Aqui há, acima de tudo, espaço para todos os que nos seguem, porque é de todos e para todos que o E a Trofa é minha é feito.

E é por tudo isto que as portas estão sempre abertas para todos os que se nos queiram juntar. Cá vos esperamos!